Origens

A Historia do Tech house e Techno

O Tech House é um sub-gênero da música eletrônica que é conhecido por seus grooves animados e batidas cativantes que não deixam ninguém parado na pista de dança. Com kicks densos e melodias energéticas, o Tech House se tornou um queridinho de muitos e ainda mantém sua popularidade em todo o mundo. No entanto, muitas pessoas se perguntam como esse estilo musical surgiu e se já era como o conhecemos hoje desde o início.

Na verdade, assim como muitos movimentos musicais, o Tech House não foi premeditado. Ele nasceu da mistura do House com o Techno, e seu registro embrionário pode ser encontrado no ponto de encontro entre esses dois gêneros. Podemos dizer que o Tech House foi um filho rebelde que surgiu com o desejo de romper com os paradigmas do Techno de Detroit e de se distanciar do mainstream da House Music de Chicago e da costa oeste americana.

O surgimento do Tech House está intimamente ligado ao cenário musical do Reino Unido, e não podemos falar da sua origem sem mencionar Eddie Richards, um dos pioneiros desse estilo. Eddie Richards era residente da aclamada Clink Street, um clube fundamental para a difusão do movimento do Acid House londrino no final da década de 80. Um dia, ele recebeu uma fita cassete de Mr. C., seu parceiro de cabine na Clink Street, com o lado A escrito Techno e o lado B House. Eddie Richards decidiu então traçar um ponto de conexão e ao mesmo tempo distanciamento entre esses dois gêneros, criando mixagens que interconectavam os dois mundos chave da música eletrônica. E assim, o Tech House nasceu.

Com o tempo, outros artistas britânicos seguiram o exemplo de Eddie Richards e começaram a experimentar com essa mistura de House e Techno. Nomes como Terry Francis, Nathan Coles e Layo & Bushwacka! foram alguns dos pioneiros do Tech House na cena londrina. Eles começaram a tocar em festas underground e clubes, trazendo uma sonoridade diferente e mais ousada para as pistas de dança.

Com o passar dos anos, o Tech House se espalhou pelo mundo e se tornou um dos subgêneros mais populares da música eletrônica. A batida intensa e envolvente do Tech House conquistou muitos fãs ao redor do globo, especialmente na Europa, onde se estabeleceu como um dos gêneros mais tocados nas principais festas e festivais de música eletrônica.

Hoje em dia, o Tech House continua a evoluir e a se reinventar, com novos artistas emergindo a cada ano e trazendo novas influências e sonoridades para o gênero. No entanto, o espírito rebelde e experimental que deu origem ao Tech House ainda é uma parte importante da sua identidade, e continua a inspirar muitos artistas a empurrar os limites da música eletrônica e criar algo novo e emocionante para as pistas de dança.

Além dos artistas britânicos, outros nomes importantes ajudaram a definir o som do Tech House e a popularizá-lo pelo mundo. Um desses nomes é Carl Cox, um dos DJs mais influentes da história da música eletrônica. Cox, que nasceu em Barbados e cresceu em Manchester, Inglaterra, começou sua carreira como DJ nos anos 80, tocando em clubes locais e festas underground. Com o tempo, ele se tornou um dos principais representantes do Techno e do House, e ajudou a difundir o Tech House por todo o mundo.

Outros artistas que ajudaram a consolidar o Tech House como um gênero importante da música eletrônica incluem os DJs e produtores alemães Timo Maas e Sven Väth, que incorporaram elementos do gênero em suas produções e sets ao vivo. O próprio Mr. C., que entregou a fita cassete a Eddie Richards, também se tornou um nome importante do Tech House, ajudando a popularizá-lo no Reino Unido e além.

O Tech House é um gênero que sempre esteve ligado às pistas de dança e às festas. Sua batida intensa e envolvente é feita para fazer as pessoas dançarem e se divertirem, e isso é uma das razões pelas quais ele continua tão popular até hoje. O gênero também é conhecido por sua capacidade de se reinventar e incorporar novas influências, o que significa que ele nunca fica estagnado e sempre oferece algo novo e interessante para os fãs.

Alguns dos principais festivais de música eletrônica do mundo, como o Tomorrowland e o Ultra Music Festival, sempre contam com uma presença significativa de artistas de Tech House em seus line-ups. Além disso, clubes ao redor do mundo também continuam a reservar noites de Tech House em suas programações, garantindo que o gênero continue a ser uma parte importante da cultura da música eletrônica.

Em resumo, o Tech House é um gênero que nasceu da mistura de House e Techno, e que se tornou um dos subgêneros mais populares da música eletrônica. Sua batida intensa e envolvente, juntamente com sua capacidade de se reinventar e incorporar novas influências, o tornam um dos gêneros mais amados e duradouros da cena eletrônica.

Não demorou muito para que os produtores começassem a criar música especificamente rotulada como Tech House. Em 1997, a faixa Gobstopper dos Housey Doingz (projeto de Terry Francis e Nathan Coles) foi considerada uma das primeiras produções efetivamente categorizadas como Tech House, uma mistura inicial de batidas de House combinadas com a musicalidade de Detroit. Da mesma forma, o remix de Chris Duckenfield para Beavis At Bat, do Hardfloor, é outra das primeiras produções do estilo no Reino Unido.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
pt_BR
pt_BR